Sexta, 23 de Outubro de 2020 17:26
65 99913-1386
Saúde VACINA PARA COVID-19

Vacina será testada em voluntários da "linha de frente" da Covid em Mato Grosso

A vacina é desenvolvida pelo laboratório Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan.

04/10/2020 16h03 Atualizada há 3 semanas
Por: FABIO CESAR Fonte: SES-MT
Vacina será testada em voluntários da

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou na semana passada que voluntários mato-grossenses e que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 vão participar da fase 3 da pesquisa da vacina chinesa CoronaVac. A expectativa é que cerca de 800 pessoas participem da testagem do imunizante de origem chinesa que deve ser realizada ainda em outubro, mas sem data definida. A vacina é desenvolvida pelo laboratório Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan.

Segundo instituto, a vacina também já vem sendo testada no Brasil desde julho e, atualmente, os estudos clínicos da última fase são acompanhados por 12 centros de pesquisa científica em cinco Estados e no Distrito Federal. Os testes clínicos passaram a envolver voluntários com mais de 60 anos, que são o grupo mais suscetível aos sintomas graves da Covid-19.O professor da faculdade de Medicina da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cor Jesus Fernandes Fontes, explicou  como será desenvolvida a pesquisa no Estado. Cor é especialista em infectologia, em atuação no Hospital Universitário Júlio Müller há 36 anos, e será um dos responsáveis pela condução do projeto em Cuiabá, na função de investigador principal.

Em Mato Grosso, o Hospital Universitário Júlio Müller, localizado em Cuiabá, será Centro de Estudos parceiro do Instituto nesse projeto multicêntrico. Todos os procedimentos locais estão sendo organizados para dar início à aplicação da vacina ainda no mês de outubro, porém, a data ainda não foi definida, conforme afirmou o professor.

A pesquisa é identificada como "COV-02-IB” e fará parte do ensaio clínico fase III duplo-cego, controlado com placebo para avaliação de eficácia e segurança em profissionais que atuam na linha de frente da área da Saúde.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), assinou na última quarta (30) um termo de compromisso com a biofarmacêutica Sinovac Life Science para fornecimento de 46 milhões de doses da Coronavac ao Estado até dezembro de 2020. A segurança do imunizante já foi comprovada em uma pesquisa com mais de 50 mil voluntários na China.

Quem pode ser voluntário

De acordo com o professor Cor, os voluntários para essa fase de avaliação da vacina poderão ser profissionais de saúde que estejam trabalhando na assistência à Covid-19. São eles: médicos, enfermeiros, bioquímicos, farmacêuticos, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos, dentistas e outros desde que tenham registro em conselho de classe, por exigência da Anvisa. Todos deverão ser maiores de idade.

O professor da UFMT afirmou que os voluntários que desejarem participar dos testes da Coronavac precisam estar bem de saúde. Além disso, ele disse que serão incluídos à participarem da pesquisa pessoas que já foram infectados e também quem ainda não teve contato com a Covid-19.

“Os voluntários deverão estar saudáveis. Serão incluídos profissionais de saúde que nunca tiveram e que já tiveram Covid-19. Isto porque a reinfecção pelo coronavirus é um fato já comprovado. Daí poderemos avaliar se a vacina protege tanto para a primeira infecção quanto para a reinfecção”, disse.

Cadastro

Cor explica que o Instituto Butantan disponibilizará aos voluntários que desejam participar da pesquisa um aplicativo onde poderão manifestar o interesse de ser voluntário. Até então, o nome do aplicativo ainda não foi divulgado pelo Instituto. Após o cadastro, a pessoa será agendada em um número de 10 a cada 2 horas, com funcionamento em todos os dias da semana nos três períodos até às 21h, incluindo sábados, domingos e feriados.

Segundo o infectologista, cada pessoa que participará dos testes receberá duas doses da vacina. A primeira no dia da inclusão na pesquisa e a segunda, será entre duas a três semanas após a primeira imunização. A expectativa do professor é que sejam aplicadas aproximadamente 800 doses em Mato Grosso. “Em Cuiabá estamos com o compromisso de incluir 800 profissionais de saúde voluntários”, afirmou.

Reprodução

Vacina Janssen-Cilag

A Anvisa também autorizou a testagem da vacina Janssen-Cilag em MT

Vacina Janssen-Cilag

Mato Grosso também terá outro Cetro de Estudos para mais uma vacina que será testada em voluntários do Estado. Trata-se da vacina Janssen-Cilag, do grupo Johnson e Johnson, que também teve anuência da Anvisa para testes em sete estados brasileiros. Foram incluídos nesta lista os estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Santa Catarina e também o Distrito Federal. 

Atualmente há quatro vacinas em teste no país, são elas: Oxford, Coronavac, Pfizer-Wyeth e Johnson & Johnson. Essas quatro vacinas foram autorizadas pela Anvisa para desenvolvimento no Brasil, após avaliação das condições de resposta às necessidades regulatórias, no caso de eventual registro no futuro, e à segurança dos participantes envolvidos.

De acordo com o órgão, quando o desenvolvimento clínico de uma vacina é inteiramente conduzido no exterior, não há a obrigatoriedade da anuência prévia, por parte da Anvisa, aos estudos clínicos. Porém, o registro permanece sendo necessário. 

Os pesquisadores estão recorrendo a várias tecnologias, algumas delas nunca usadas anteriormente em vacinas. Todas as vacinas, porém, expõem o indivíduo a um antígeno substância que, uma vez introduzida no organismo, é capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. Embora esse antígeno não cause a doença, ele provoca uma resposta imune que pode bloquear ou matar o vírus quando o indivíduo é exposto a ele.

Covid-19 em Mato Grosso

Os dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES), divulgado nesta sexta (2), apontam que Mato Grosso chegou ao registro de 126.106 casos confirmados do novo coronavírus. Desse total, 3.498 não resistiram às complicações da doença, 15.284 estão em isolamento domiciliar e 106.606 estão recuperados.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (24.538), Várzea Grande (9.213), Rondonópolis (9.208), Sorriso (5.601), Lucas do Rio Verde (5.522), Sinop (5.482), Tangará da Serra (5.084), Primavera do Leste (4.181), Cáceres (3.016) e Campo Novo do Parecis (2.745).

Ele1 - Criar site de notícias