Domingo, 27 de Setembro de 2020 11:31
65 99913-1386
Política CASO FLORDELIS

Após caso Flordelis, deputado pede volta do Conselho de Ética

Flordelis foi denunciada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como mandante do assassinato de seu ex-marido, o pastor Anderson do Carmo

28/08/2020 22h14
Por: FABIO CESAR Fonte: R7
Após caso Flordelis, deputado pede volta do Conselho de Ética

O corregedor parlamentar da Câmara dos Deputados, deputado federal Paulo Bengtson (PTB-PA), apresentou nesta sexta-feira (28) projeto que autoriza o Conselho de Ética a realizar reuniões virtuais, sistema adotado para as votações do plenário da Casa.

Atualmente, o Conselho de Ética não pode fazer as reuniões virtuais, apenas presenciais – contudo, essas estão desautorizados em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

 

Botão para controlar o volume da publicidade

 

As atividades (do Conselho) não podem ser abarcadas por nenhum outro órgão. Por isso, a realização de reuniões virtuais é medida mais que necessária, permitindo que seja dada regular tramitação aos processos disciplinares e aos atos necessários à instrução deles”, disse o parlamentar.

O pedido de volta do Conselho de Ética ocorre às vésperas de debater uma representação contra a deputada federal Flordelis – solicitada pelo deputado Léo Motta na última terça-feira (25).

Mais: 'Ela enganou todo o Brasil', diz Damares sobre Flordelis

Flordelis foi denunciada na última segunda-feira (24) pelo MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) como a mandante do assassinato de seu ex-marido, o pastor Anderson do Carmo. A Promotoria denunciou a parlamentar pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, falsidade ideológica, uso de documento falso e organização criminosa majorada. Ela nega as acusações.

Por ter imunidade prisional, Flordelis não pôde ser presa. O benefício, baseado no artigo 53 da Constituição Federal, é concedido aos senadores e deputados como garantia de proteção contra prisão, exceto em casos de crime inafiançável. Dessa forma, ela só pode ser presa ou afastada com autorização da Câmara dos Deputados.

O presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse, na última quarta-feira (26), que irá convocar para a próxima semana uma reunião com a Mesa Diretora e as lideranças para discutir a situação de Flordelis.

*Com informações da Agência Câmara

Ele1 - Criar site de notícias